sexta-feira, 30 de abril de 2010

frenetic blues

Bagunça, noites viradas naquele bar enlouquecedor de sempre, beijos em muitas pessoas, tudo junto e misturado, álcool. Dança e perfume de saxofonista apaixonante, coração meio esmigalhado, mas tudo bem.
(Vomitei no banheiro, nem foi porre, acho que estou doente, tomara que nada grave, e o garçom que me viu tomando ar na cozinha quando comecei a passar mal, uma coisa romântica passou pelos olhos e sorrisos de ambos, teve que limpar, que era o trabalho dele e eu tava sem forças. No dia seguinte, fui tocar lá com meu grupo e ele me abraçou durante muito tempo. Mundo louco.).
Um homem me disse que eu fosse no centro-espírita, e tirou um calor da minha cabeça com os dedos. Sinistro.
Beijos com gosto de cigarro no argentino lindo mas meio sujinho. Nem sei porque, tudo muito normal e sem desejo (noutra noite, no mesmo bar, encontrei-o com uma flautista baiana igualmente linda de morrer que eu já tinha conhecido na vida, e quando fui ao banheiro, ela entrou junto e lambeu a minha língua compulsivamente por 20 minutos). Segredo.
Dor e dor de ver Luiz Gabriel tão longe e tão perto, tão se achando o iluminado que resolve os problemas dos outros. Por um instante, num dia desses dentro do ônibus, quase quis me aproximar e abraçar ele todo, fazer carinho no cabelo de bolinhas. Mas a lembrança de que ambos já dissemos um ao outro o quanto somos desprezíveis desceu um gosto amargo que queimou fisicamente meu peito. Elegia.
Falando nisso, meu peito tem ardido frequentemente, e minhas amigdalas estão estranhas. Culpa da minha vida suja, diz minha mãe tão agressivamente e autodestrutivamente inconformada. Dor.
Grandes mudanças na vida, no ritmo que de repente perdeu toda a compaixão, e nas cores, cada vez mais noturnas.
Medo de não dar tempo de algumas coisas.

inês.

44 comentários:

  1. Estimada e Deslumbrante Amiga:
    Situações e acontecimentos da vida.
    Fala com o coração posto no mundo que vive em toda a sua dimensão.
    Parabéns pelo texto.
    Beijinhos amigos de respeito imenso.
    Acautele-se, a noite comporta riscos!
    Sempre na maior admiração.

    pena

    MUITO OBRIGADO pela sua amizade.

    ResponderExcluir
  2. Inês, está tudo aí, nesse teu texto: a noite e o dia, a luz e as trevas, o orgulho e o desprezo, a vaidade e a modéstia, o belo e o horrível, a exaltação e o segredo, o grito e o murmúrio... mas sobretudo, sobretudo a poesia... a vida.
    Belo texto, sem dúvida! Impossível ficar-lhe/te indiferente.
    Beijinho!

    ResponderExcluir
  3. Quem não tiver pecados que atire a primeira pedra. Bjos achocolatados

    ResponderExcluir
  4. A vida de cada um...buscamos aprender sempre...paz.

    ResponderExcluir
  5. Inês, que texto verdadeiro....simplesmente como a vida é.
    Parabéns, adorei.

    Um maravilhoso final de semana e toda PAZ.

    P.S. O comentário no link que te enviei, é sobre o texto mesmo, enviei somente a prévia do filme, que será lançado no final de maio.
    Que bom que você gostou Inês, enviei o texto e a prévia do filme, porque você é do mundo artístico, e é uma pessoa sensível(ao menos é o que sinto pelos teus textos). Este filme tem o intuíto de acabar com o estigma de que DOWN é doença...este projeto do Magalhães não tem incentivo nenhum(fiscal) ele está fazendo na cara e na coragem....está tendo alguma repercussão por parte dos amigos que estão divulgando(não sou amiga dele) mas divulgo pela importância do tema.
    Bjks

    ResponderExcluir
  6. tem uma coisa bagunçada nos seus textos que é tão bacana!

    ResponderExcluir
  7. Adentrou como poucos no multifacetado que está presente no cotidiano de todos nós...

    Belo texto

    Agradecido pela visita ao Rembrandt!

    ResponderExcluir
  8. Ah que demais esse texto...

    adoei teu espaço, beijossssss

    ResponderExcluir
  9. really really frenetic
    bares tem algo de muito bonito
    coisas muito legais surgem em bares
    um monte de merda tbm
    mas, sei lá rsrs

    que bom que voltaste.
    bjão.

    ResponderExcluir
  10. A vida é feita de instantes.
    Instantes esses que podem ser o rosto do bom e do menos bom.
    Palavras que definem cada um desses instantes como resumo daquilo que representam, como a dor a elegia ou o segredo...
    Enfim, é sobretudo um desabafo de alma.

    Beijo

    ResponderExcluir
  11. Não sei porque, mas esses fatos inesperados sempre me agradam!

    ResponderExcluir
  12. Gosto do clima inquietante que dá ritmo ao texto; instiga...

    Também gostei do seu blogue.

    Bjs, obrigada pela visita e comentário. Inté!

    ps - Foi no dia 23, não é? Salve, Jorge! Saúde, Inês! Saúde!

    ResponderExcluir
  13. Não é sempre a mesma pessoa não. às vezes não é nem verdade.
    =D

    ResponderExcluir
  14. sufocantemente prazeroso!!!

    Meu, flautistas baianas sabem de tudo... pode confiar

    ResponderExcluir
  15. São muitos os caminhos que atravessamos para que sejamos inteiros um dia...Td vale a pena se a consciência comporta e resignifica.Grata pela visita.Quanto a me seguir, observe a lateral do blog onde se encontram os seguidores. Estou retornando aos poucos depois de muito tempo ausente da blogosfera. Apareça. Bj

    ResponderExcluir
  16. "Dor e dor de ver Luiz Gabriel tão longe e tão perto, tão se achando o iluminado que resolve os problemas dos outros. Por um instante, num dia desses dentro do ônibus, quase quis me aproximar e abraçar ele todo, fazer carinho no cabelo de bolinhas. Mas a lembrança de que ambos já dissemos um ao outro o quanto somos desprezíveis desceu um gosto amargo que queimou fisicamente meu peito. Elegia."

    Muito bom tudo isso. É realmente uma forma dionisíaca de construir os textos, algo nescessário tendo em vista o objeto que tu descreve neles, gostei muito.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  17. Inês....tua escrita entrou como uma flexa no meu peito. Menina....essa vida aí, sinsitra, dor, medo, segredo....é a única que conheço. Ela progride, regride.... mas olha, que tem esses olhos que vc tem,....poxa, tá marcada.

    Mas olha, no fundo, essa marca traz orgulho...
    te garanto, enquanto afago minha marca.

    ResponderExcluir
  18. Inês...

    Este teu texto é um turbilhão de emoções. Deixa serenar a alma e tenta entender porque é que vezes a vida nos parece tão injusta!

    Beijos
    AL

    ResponderExcluir
  19. Belos textos... Obrigada pela visita.
    P.S - É nas definições que se muda isso :)
    Abraço

    ResponderExcluir
  20. Seis textos são muito bons!
    Esse gostei em especial... Beijos =*

    ResponderExcluir
  21. Excelente texto, Inês. É uma personagem e tanto, e se não é ficção é incrivelmente interessante.

    Gostei de ver você no Inscrições, obrigada pela presença e pelo comentário.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  22. Muito bom minha linda,fantástico.
    Parabéns.
    Uma linda noite e um beijo grannnnnde.

    ResponderExcluir
  23. Uau, adorei, isso realmetne aconteceu? hauahu
    Vc tem msn ou orkut? Se quiser me adiciona: rafaelsperling@msn.com

    ResponderExcluir
  24. Inês, adorei o seu blog! Cheio de charme e conteúdo dentro de uma excelente escrita.

    ResponderExcluir
  25. Olá Inês, satisfação em conhecê-la.
    Bem, venho aqui para agradecê-la pelos comentários calorosos e cheios de aproximação (não existente, mas admirada). Agradeço o carinho, a simplicidade com que expressasses o que pensou sobre o que escrevi.

    E gostei muito da maneira como descreves seus dias. Estou te seguindo, para mantermos contato!
    Grande abraço!

    verabidu

    ResponderExcluir
  26. Parabéns! Muito bom os seus textos! Obrigada pela visita ao Livre Pensamento! Tetê

    ResponderExcluir
  27. Gosto de quem consegue rasgar a vida em pedacinhos e mostrar para os outros tão descaradamente. Isso é um elogio. :}


    Beijos :*

    ResponderExcluir
  28. Obrigado pela gentileza da visita, será um prazer recebê-la sempre. Teus textos são ótimos!
    beijo

    ResponderExcluir
  29. "lambeu a minha língua compulsivamente por 20 minutos" que delicia! achei incrivel isso!
    beijos!

    ResponderExcluir
  30. "É preciso viver apesar de"
    to por aí

    ResponderExcluir
  31. a verdade tem mais graça, ás vezes.

    ResponderExcluir
  32. A vida é muitas vezes frenética.
    Outras vezes nem tanto.
    A dor, a alegria, a felicidade, a tristeza, o prazer e outros momentos mais ou menos duráveis, sucedem-se quase sem darmos por isso.
    A isso chama-se viver, porque a vida nunca é uma recta (só a morte é uma linha contínua e sem retorno).
    Excelente texto. Parabéns.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  33. Um texto, uma folha de diário...importante é que gostei de ler.

    ResponderExcluir
  34. Adorei o texto,
    muito bom.
    Você escreve muito bem.

    bjus =*

    ResponderExcluir
  35. Hola, coleguinha.. teclo-te p agradecer a visita no meu blog... (curti seu comentário lá.. risas...).. e tbm p te parabenizar pelo blog... mta bacana...

    *vou virar seguidor...

    abs grande.

    ResponderExcluir
  36. A tua escrita tem muito ritmo e inquieta-me...no bom sentido da palavra.

    Beijinho doce e bom fim de semana

    Tenho lá a Roda do...

    http://vemsonharcomigo.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  37. Estimada e Linda Amiga:
    Uma narração brilhante do seu quotidiano que é só seu.
    Possui um poder de comunicar excelente.
    Um sensível gosto pela oportunidade e realidade doce de si e do que faz, extraordinário e brilhante.
    Beijinhos amigos.
    No maior respeito, estima e consideração.
    Com admiração constante pela perfeição da sua escrita preciosa.

    pena

    Linda!
    Bem-Haja, pelo seu valor gigante!

    ResponderExcluir
  38. Hoje ofereci as cores da minha paleta
    A uma amiga na sua dor
    Ouvi seu choro ao meu ouvido
    No fatalismo do desamor

    Hoje o sono acordou-me
    A nostalgia agitou suas asas cinzentas
    Esqueci no acordar o ultimo abraço
    E contei as nuvens que eram tantas


    Doce beijo

    ResponderExcluir
  39. O compositor Sérgio Sampaio disse que “lugar de poesia é na calçada” e foi daí surgiu a ideia da Revista Calçada. Trata-se de uma revista online de literatura que entrará no ar na próxima quarta-feira (19). A ideia é abrir espaço para a publicação de textos literários inéditos, além de trazer um conteúdo diversificado que incluirá releituras de poemas e crônicas em áudio e vídeo, ensaios, colunas, crítica e reportagem.

    A Revista Calçada é uma publicação quinzenal sem fins lucrativos que está sendo desenvolvida como Trabalho de Conclusão de Curso das estudantes de Comunicação Social Aline Dias e Marcela Rangel, sob orientação do professor José Irmo Gonring.

    Autores interessados em publicar ensaios, poemas, contos ou crônicas podem enviar seus textos para o e-mail revistacalcada@hotmail.com. Todos os textos serão avaliados por uma comissão editorial composta por críticos literários.

    ResponderExcluir
  40. Linada reflexão da inquietude do Ser!
    Somos verdadeiramente assim.. As vezes inconsequente, mas em busca de algo lá dentro, onde nos falta, e acaba por tragar algo que desconhecemos, vindo após loucamente num ato de solidão, mas que, passamos por cima dela, em busca de algo que nos satisfaça..

    Belo post

    MARCIO RJ

    ResponderExcluir

Minha lista de blogs