segunda-feira, 4 de maio de 2009

Passos fêmeos

Ontem toquei com meu grupo de samba.
Sou flautista.
(O que, a propósito, minha família até aceitaria, a princípio, desde que a Filarmônica estivesse em meus planos mais próximos... Mas a cada dia é o som dos loucos e dos botecos que mais me domina e aprisiona, o que gera um pronunciado e amargo DESGOSTO nos meus pais. Sorry...). Depois que o bar fechou e todos do grupo foram embora, saí andando em direção a um outro bar que tem um chorinho até mais tarde (todos colegas meus), e onde tantos músicos de tantos sons diferentes se reúnem para os últimos suspiros antes que a segunda-feira se descortine por completo.
E como sempre me sentei em muitas mesas e tive muitos copos de cerveja.
Ouvi algumas vezes que eu estava linda e que minha boca parecia um não-sei-o-quê vermelho e bonito, mas por olhares que não me emocionaram muito.
Fumei perto da janela, olhando a noite lambendo as ruas e árvores e carros molhados de sereno (ou suor?).
E, como sempre, deslizei pela escada sem nada deixar de mim lá dentro, exceto um livro que acabara de ganhar de presente e esqueci nalguma cadeira - tristeza! -, e um pouco do meu perfume de frutas e especiarias (meu único segredo sexual mais secreto que meus cílios postiços).
Longos momentos depois, em meu quarto (é impressionante como NUNCA repeti nem uma vez sequer algum método de voltar pra casa, onde quer que eu me tenha jogado), me embrulhei nas cobertas até que a manhã entrasse pela janela (ou minha mãe entrasse pela porta, se lamentando que essa vida de música tem sido minha desgraça - oh!).
...
Oh!

Inês

6 comentários:

  1. Taí...adorei teu blog. Gosto muito de quem escreve num blog sobre a sua própria vida. Principalmente se o autor;autora faz isso com criatividade. E é o teu caso. Ótimo. Já virei teu seguido e estarei sempre aqui.
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Inês, o mundo virtual é assim... A gente sai andando, e andando, e navegando... e de repente aporta num blog legal, assim como o seu!
    Adorei sua forma de escrever...
    Direta... Sem rodeios!
    Muito bom!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Inês, devo dizer que amei visitar teu paraíso!
    Eu não coloquei o modo seguidores no meu blog, mas você pode me adicionar no seu blogroll. Já adicionei você!


    Beijos e borboleteios

    ResponderExcluir
  4. Desculpe a ousadia mas gostaria de o convidar para o lançamento do meu livro.

    A autora Conceição Bernardino e a Editora Mosaico de Palavras, têm a honra de convidar V.Exas. a estar presente na sessão de lançamento do livro “Linhas Incertas”, que terá lugar no próximo dia 30 de Maio, pelas 15.00 horas, na Casa Museu Teixeira Lopes, na Rua Teixeira Lopes, 32 – V.N.G (perto da Câmara de Gaia).

    Prefaciado pela Doutora Goreti Dias

    Os textos de Conceição Bernardino não escapam à descoberta de um determinado ponto de vista, ou seja, ao inevitável pressuposto de um sujeito, já que não existe uma análise absolutamente neutra, sem indivíduo. Cada poema é uma situação de comunicação em que a subjectividade dá lugar à apresentação claramente incisiva de alguém que gira nas esferas de valores observadas e colhidas na sociedade, ciência, moral e arte, a reflexão de um acto de conhecimento da autora em contacto com o mundo real, as suas injustiças, guerras e desamores. (…)

    A poesia de “Linhas incertas” tem uma força imagética que nos roça a pele e penetra a carne, uma magnitude que, poesia dentro, se faz a cada verso mais crua, mais real. A presença de predadores na esquina dos desprevenidos, dos simples e dos desprotegidos! Da passividade à actividade, o sujeito da enunciação instiga “Crentes do nada, do vazio, levantai a cruz,/que a morte cala todos os dias...” em “ Sexta-feira Santa”; as palavras oferecem-se à partilha da dor: “Sou um pedaço de carne/que atiram aos cães”, em “Retirem-me estes cadeados”.


    A apresentação da obra será feita pela escritora Rosa Maria Anselmo


    http://www.mosaicodepalavras.com/Home

    ResponderExcluir
  5. cai aqui em teu bog e fui lendo avido por teus textos....fortes...diretos..rodeados de emoçoes e sentimentos.....é bom quando colocamos para fora aquilo que queremo e não o que os outros querem...é bom quando nos ouvimos e falamos....é bom apenas isto....escrever...sem precisar dizer que é necessario escrever...


    Ademerson Novais de Andrade

    ResponderExcluir
  6. Viu? Não sou o único que te admira.

    ResponderExcluir

Minha lista de blogs